O coronavírus(COVID-19) já está causando estrago em solo nacional, e a tendência é que piore cada vez MAIS! Neste blog reunimos um apunhado de informações para explicarmos quais estão sendo os impactos cada vez mais fortes no cotidiano das empresas e nos cofres públicos.

CRISE DE DESEMPREGO

A pandemia de coronavírus pode desencadear uma crise econômica global, destruindo até 25 milhões de empregos em todo o mundo se os governos não agirem rapidamente para proteger os trabalhadores do impacto, informou a Organização Internacional do Trabalho (OIT) nesta quarta-feira (18).

“No entanto, se virmos uma resposta coordenada internacionalmente, como aconteceu na crise financeira global de 2008/9, o impacto no desemprego global poderá ser significativamente menor”, afirmou a OIT.

A organização pediu medidas urgentes, em larga escala e coordenadas para proteger os trabalhadores em seu local de trabalho, estimular a economia e apoiar empregos e renda.

Tais medidas devem incluir a extensão da proteção social e apoio à retenção de empregos por meio de jornada reduzida ou licença remunerada, além de benefícios financeiros e fiscais, inclusive para micro, pequenas e médias empresas, acrescentou a OIT.

MEDIDAS PARA POPULAÇÃO DE RISCO

Ministério da Economia anunciou nesta segunda-feira (15) novas medidas para reduzir os efeitos econômicos da pandemia do novo coronavírus.

Segundo o governo, serão empregados R$ 147,3 bilhões em medidas emergenciais para socorrer setores da economia e grupos de cidadãos mais vulneráveis, além de evitar a alta do desemprego. Desse valor, R$ 83,4 bilhões devem ser destinados à população mais pobre e/ou mais idosa.

Já anunciadas:

  • antecipar a primeira parcela do 13º de aposentados e pensionistas do INSS para abril – liberação de R$ 23 bilhões
  • reduzir o teto de juros do empréstimo consignado para aposentados e pensionistas, aumento da margem e do prazo de pagamento

Novas medidas:

  • Antecipação da segunda parcela do 13º de aposentados e pensionistas do INSS para maio – liberação de mais R$ 23 bilhões
  • Transferência de valores não sacados do PIS/Pasep para o FGTS, para permitir novos saques – impacto de até R$ 21,5 bilhões
  • Antecipação do abono salarial para junho – liberação de R$ 12,8 bilhões
  • Reforço ao programa Bolsa Família, com a inclusão de mais 1 milhão de beneficiários – impacto de até R$ 3,1 bilhões

MANUTENÇÃO DE EMPREGOS (R$ 59,4 bilhões)

Novas medidas:

  • Diferimento do prazo de pagamento do FGTS por 3 meses – impacto de R$30 bilhões;
  • Diferimento da parte da União no Simples Nacional por 3 meses – estimativa de R$ 22,2 bilhões;
  • Crédito do PROGER / FAT para Micro e Pequenas Empresas – projeção de R$ 5 bilhões;
  • Redução de 50% nas contribuições do Sistema S por 3 meses – impacto de R$2,2 bilhões;
  • Simplificação das exigências para contratação de crédito e dispensa de documentação (CND) para renegociação de crédito;
  • Facilitar o desembaraço de insumos e matérias-primas industriais importadas antes do desembarque.

MEDIDAS CONTRA A PANDEMIA

Já anunciadas:

  • Suspender a prova de vida dos beneficiários do INSS por 120 dias;
  • Dar preferência tarifária de produtos de uso médico-hospitalar;
  • Priorizar desembaraço aduaneiro de produtos de uso médico-hospitalar.

Novas medidas:

  • Destinação do saldo do fundo do DPVAT para o SUS – impacto de R$ 4,5 bilhões;
  • Zerar alíquotas de importação para produtos de uso médico-hospitalar (até o final do ano);
  • Desoneração temporária de IPI para bens importados listados que sejam necessários ao combate ao Covid-19;
  • Desoneração temporária de IPI para bens produzidos internamente listados que sejam necessários ao combate ao Covid-19.

 

PARA AUTÔNOMOS

  • Que o auxílio emergencial mensal será de R$ 200;
  • Que uma medida provisória (MP) vai definir as regras para seleção do público beneficiado;
  • Que a medida deve beneficiar de 15 a 20 milhões de pessoas;
  • Que receberão o auxílio trabalhadores informais ou desempregados, com mais de 18 anos, que estejam em família de baixa renda pelos critérios do Cadastro Único (CadÚnico);
  • Que os titulares de pessoas jurídicas (Micro Empreendedor Individual, ou MEI) que se enquadrem nos critérios do CadÚnico também serão incluídos;
  • Que o impacto nas contas públicas será de R$ 5 bilhões mensais, e que o dinheiro virá dos cofres da União;
  • Que o benefício vai durar até o fim da emergência do coronavírus;
  • Que o auxílio não poderá ser acumulado com benefício previdenciário, Benefício de Prestação Continuada (BPC), Bolsa Família ou seguro-desemprego; e
  • Que o benefício deixará de ser pago se a pessoa for contratada em regime CLT ou se a renda familiar ultrapassar o limite do CadÚnico em algum momento.

 

MUDANÇA DE PRAZOS (Simples Nacional)

Com isso, os tributos federais apurados no Programa Gerador do Documento de Arrecadação do Simples Nacional – Declaratório (PGDAS-D) e Programa Gerador do DAS para o MEI (PGMEI) ficam prorrogados da seguinte forma:

I – o Período de Apuração Março de 2020, com vencimento original em 20 de abril de 2020, fica com vencimento para 20 de outubro de 2020;
II – o Período de Apuração Abril de 2020, com vencimento original em 20 de maio de 2020, fica com vencimento para 20 de novembro de 2020; e
III– o Período de Apuração Maio de 2020, com vencimento original em 22 de junho de 2020, fica com vencimento para 21 de dezembro de 2020.

Enfatiza-se que o período de apuração (PA) Fevereiro de 2020, com vencimento em 20 de março de 2020, está com a data de vencimento mantida.

Ato Declaratório Executivo da Secretaria Especial da Receita Federal do Brasil orientará os procedimentos operacionais a serem adotados pelos contribuintes para cumprimento dos efeitos da Resolução.

A Resolução CGSN nº 152, de 18 de março de 2020, foi encaminhada para publicação no Diário Oficial da União.

Fonte: G1
Fonte: Simples Nacional

O B2C pode ser visto como a forma mais básica de venda e, exatamente por isso, você deve dominar bem para superar toda a concorrência do mercado!

Se você vende um produto ou serviço para um consumidor final, uma pessoa física, isso significa que você está enquadrado no conceito do B2C. 

Se, além disso, você trabalha diretamente com o e-commerce, então esse artigo que escrevemos é feito exatamente para você.

Neste texto, vamos falar sobre o B2C, seus conceitos e suas maneiras de atingir o consumidor de forma eficiente.

Por isso, se você tem alguma dúvida sobre o processo de divulgação e atendimento na modalidade B2C e quer ser um campeão de vendas nesse mercado, fique com a gente até o final do artigo.

confira nossas especialidades 1 - Se você ainda não entendeu o significado de B2C, está na hora de aprender para não ficar para trás da concorrência. Veja aqui o conceito e a melhor forma de trabalhar com esse tipo de mercado! - Contabilidade em São Bernardo do Campo - SP

O que é B2C?

A sigla B2C vem da língua inglesa, e significa Business to Consumer, ou seja, da empresa para o consumidor, e designa o que o próprio nome diz: o comércio realizado entre a empresa e o consumidor final.

Mesmo que esse tipo de comércio possa ser considerado da forma tradicional, realizado em lojas físicas, o termo passou a ser considerado para o comércio digital, conhecido como e-commerce. 

Divulgação do B2C

Por estar inserido na internet, o comércio B2C deve ter uma divulgação forte e bem direcionada ao seu público-alvo, enfrentando grande concorrência de marcas mais conhecidas e bem estabelecidas no mercado.

Insira anúncios em redes sociais, se utilize do conceito de SEO e tenha uma equipe de atendimento sempre atenta para todo e qualquer engajamento referente aos produtos que você comercializa, e aos temas que você aborda nas redes.

Por isso, uma das formas mais utilizadas para atrair o consumidor é a produção de conteúdo. 

Ter um blog que aborde temas diversos que sejam minimamente ligados à sua posição no mercado, ou até outros temas recorrentes no momento atual, é a melhor forma de fazer um potencial cliente entrar em contato com a sua marca, mesmo que, inicialmente, apenas com “curtidas” ou comentários.

Afinal, manter o seu negócio vivo na mente do consumidor fará com que ele pense primeiramente em você na hora em que precisar de um produto ou serviço que sua loja oferece.

Atendimento no B2C

Outro ponto essencial para obter sucesso no seu negócio B2C é ter uma plataforma de atendimento eficiente e completa, afinal, ninguém gosta de ter dificuldades na hora de procurar informações sobre os produtos, efetivar a compra ou procurar por auxílio no atendimento ao consumidor.

Sendo assim, adquira as melhores plataformas e softwares para realizar as suas vendas e os mantenha sempre atualizados com todas as informações pertinentes sobre o que você está vendendo.

O seu cliente necessita de completo conforto para fazer as buscas necessárias, coletar informações ou tirar dúvidas. 

Além disso, ele precisa estar totalmente seguro para confiar seus dados financeiros e pessoais na hora de realizar o pagamento do produto.

Logística no B2C

Por último, mas não menos importante, a segurança que o seu cliente teve até esse momento, também precisa estar presente na certeza de que ele receberá o produto comprado na data prevista e sem transtornos.

Por isso, faça a escolha correta na hora de definir qual será a forma de envio dos produtos vendidos e, se houver essa possibilidade, desenvolva a sua própria estrutura logística, para ter maior controle sobre as entregas realizadas.

E aí, está preparado para iniciar ou otimizar um trabalho impecável no mercado B2C?

Para realizar tudo isso, você não pode esquecer de todas as questões fiscais e burocráticas para regularizar o seu negócio e, melhor ainda, aumentar os lucros e reduzir prejuízos.

Por isso, tenha sempre um acompanhamento contábil profissional para cuidar desses detalhes enquanto você comanda o melhor serviço B2C do mercado!

Entre em contato conosco e saiba como vamos te ajudar a alcançar o sucesso e a saúde fiscal da sua empresa!

Decisão faz parte das medidas do governo para proporcionar mais tranquilidade às empresas por conta da pandemia do coronavírus. Medida não vale para tributos de fevereiro.

G1

O Comitê Gestor do Simples Nacional aprovou nesta quarta-feira (18) a prorrogação, por seis meses, do prazo para pagamento dos tributos federais no âmbito do Simples Nacional, informou a Secretaria da Receita Federal.

A medida, que também se aplica aos Microempreendedores Individuais (MEI), faz parte do pacote para minimizar os impactos econômicos da pandemia do coronavírus. A mudança não se aplica aos tributos de fevereiro, que vencem na próxima sexta (20).

Com isso, de acordo com o órgão, os tributos federais apurados no Programa Gerador do Documento de Arrecadação do Simples Nacional – Declaratório (PGDAS-D) e Programa Gerador do DAS para o MEI (PGMEI) foram prorrogados da seguinte forma:

  1. o Período de Apuração Março de 2020, com vencimento original em 20 de abril de 2020, fica com vencimento para 20 de outubro de 2020;
  2. o Período de Apuração Abril de 2020, com vencimento original em 20 de maio de 2020, fica com vencimento para 20 de novembro de 2020; e
  3. o Período de Apuração Maio de 2020, com vencimento original em 22 de junho de 2020, fica com vencimento para 21 de dezembro de 2020.
Paulo Guedes

Fonte da Imagem: G1

A Receita informou ainda que um ato vai orientar os procedimentos a serem adotados pelos contribuintes, na hora de fazer esse pagamento.

O governo federal já tinha anunciado que faria mudanças no pagamento do Simples. Até aquele momento, a ideia era prorrogar em apenas três meses.

Fonte: G1